O Bom de Viver.com.br

Início » 2013 » março

Arquivo mensal: março 2013

Natal – Que Trazes Pra Mim?

natalQuando chega a festa de natal, passagem de ano,páscoa,anivesário percebo que algumas pessoas resolvem contabilizar o que fizeram ou deixaram de fazer; se perdem no passado e projetam o futuro com listas intermináveis. Chegam achar chatíssimo e “quantas vezes você balança a cabeça admirada: “ Como essa pessoa sente os fatos tão diferente de mim, entendiante curtir as datas comemorativas”.

Seria uma sabedoria viver o presente, deixar fluir “a festa”,o momento. Estarmos inteiros naqueles momentos que acontecem uma vez por ano sendo que teremos o novo ano inteiro para pensar.

Novo Ano. Um novo ano é o renascer para novas possibilidades, novos projetos, sonhos sem ilusõses. Ah ,os sonhos! Tempêro da vida .

Um novo olhar para situações não necessariamente novas mas com lentes novas.

Ano de pensar criticamente, o que pouco fazemos . Deixar os pensamentos automáticos em prol de pensamentos críticos para sermos mais assertivos ,deixar o “tenho que querer” ,“tenho que ser”, tem de” e viver o que posso fazer com o que a vida me trouxe.

Ser autêntico, autor da nossa história. Vamos nos enquadrando ,limitando, até esquecermos quem somos, do que gostávamos e o que realmente nos faz chorar de rir.
Parar…

Parar! difícil arte de parar.
Parar por alguns instantes dos compromissos , do cansaço, da falta de tempo, da dificuldade de ser feliz. Parar para sentir o “curtir” a gente mesmo, a harmonia com o outro e o mundo, a família, o ser amado, para amar. Parar diante das tragédias universais ou pessoais para dar se o tempo de degustar o viver per si. Parar para pensar no que vale a pena.

Pensar para ser uma pessoa mais decente para amar mais e melhor, começando por nós  mesmos para exercer nossa cidadania e liberdade.

Pensar no que de verdade quereremos, se é que realmente queremos alguma coisa. Se somos levados pelos desencantos , pelas dores do passado, do desânimo de recomeçar ou começar de novo.
Pensar para construir um mundo próprio , sem grandes loucuras mas criativo, sem idealizações e verdades absolutas. Podemos reinventar o nosso mundo com gotinhas de loucuras gostosas para embelezar e tornar a vida ordinária extraordinária e compartilhá-la para que haja beleza e claridade.

Pensar como uma criança, coelhinho da páscoa existe? Para quem acredita existe,cada um vive a suas escolhas.

Ao despertar do novo ano deixemos de lado promessas e acreditemos que temos valor como ser humano que somos.Que possamos perceber que o “ser” é algo infinito e nobre,  leva-nos ao equilíbrio, o ter é uma busca que o complementa, é efêmero.

Cuidemos de buscar a Felicidade, saúde, criatividade, labuta,  para cultivar a paz, a cooperatividade, o amor e a compaixão.

Renascimento, sentido maior que o natal nos remete. Ano Novo promove vida,  oportunidades.Perdão para si mesmo e para o outro, mesmo que perdoar não signifique conviver.

Datas, que trazes pra mim?

Ficar,Paixão,Namoro…….“O namorado chega antes da hora,na hora ou depois da hora”

“O namorado chega antes da hora, na hora ou depois da hora, conforme que ama, ainda ama ou não mais ama” (Condessa Diane apud Mansour Chalita)alegre na chuva

“FICAR”, PAIXÃO, NAMORO

FICAR – São os ensaios dos primeiros namoros .

Nem chega ser paixão,mas apenas um impulso desejante imediato. È um experimentar, passar um tempo, trocar carícias ou algo mais, é pragmático, não tem compromisso.

PAIXÃO –

È avassaladora, insana, inebriante, egoísta.
Tanto pode virar amor como pode evoluir para uma patologia tirando assim a subjetividade e o tempo da pessoa.

È como virar as costas para a razão.O egoísmo da paixão provém do amor do outro a partir de si, máscara de um duplo narcisismo.

Na adolescência o lado positivo da paixão torna-se um movimento da alma (psique) em busca da ascese ( grandiosidade do ser), do criativo.Como dizia Hegel – “nada de grande se faz sem paixão”. É um exercício para vivenciarem sentimentos fortes e aprenderem lidar com as perdas e o vazio que fica se são fulgazes.

NAMORO-

É enamorar-se, um comprometer-se, tornar-se cúmplices, companheiros, confidentes. Entrega de corpo e alma.

É o amor que chegou. Um sentimento profundo mas tão delicado que feri a alma quando não é cuidado. Com o amor chega o tempo de sonhar, sorrir, flutuar.

O amor romântico vivenciado pelos adolescentes pela própria leveza que eles carregam.

É a “Cena” perfeita, como diz Rubem Alves, escritor e psicanalista.No mundo contemporâneo me debruço diante das relações e me pergunto: primeiro namorado ou primeiro amor?

O que faço quando meu filho vivencia esse “estado de ser”?

Os pais podem voltar no tempo meio que numa nostalgia para conseguirem entender seus filhos e ajudá-los a “escolher seus amores “.
Podendo ser depositários de confiança,um bonito presente são os filhos poderem confidenciarem aos pais suas escolhas amorosas.

Cabe aos pais demonstrarem maturidade, acolhimento,não responderem com monólogos moralistas, agressividades físicas e psicológicas.

Um posicionamento de “escuta”, de interesse pelo sentimento dos filhos, das suas escolhas amorosas e seus parceiros. Suas angústias, questionamentos.

Abrindo espaço para os filhos compartilharem suas experiências, alegrias.

Os pais vão abrindo espaço sutilmente para que possam conhecer melhor o relacionamento amoroso dos filhos suas particularidades,criando intimidade e aproximando dessa nova pessoa que vai agregar se à família. Podendo assim conhecê-la melhor, o que é fundamental para orientação dos filhos.

Negociar regras,impor limites plausíveis porém outros inegociáveis.Se faz necessário acolher, ser diplomático.

Usar o bom senso buscar informação na literatura de boa qualidade tanto para os pais quanto para os filhos, conversar sobre sexualidade, buscar orientação médica especializada no momento oportuno.

Apesar da estrutura familiar e os próprios pais serem mais modernos somente 34% dos pais conseguem na prática dialogar com os filhos. Há uma resistência e despreparo para um diálogo autêntico quanto ao respeito aos sentimentos e escolhas dos filhos .

Os “tempos mudaram” mas a linguagem do amor é universal e atemporal.

Mulheres que amam demais

MAÇA CARA DE HOMEMDepois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo:

“olha, não dá mais”.
Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo?

Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu: “mas agora eu to comendo um lanche com amigos”.
Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não volta pra mim?

Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema. Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta.

E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito.

Decidi ser uma mulher mais feliz, afinal, quando você é feliz com você mesma, você não põe toda a sua felicidade no outro e tudo fica mais leve.

Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu.
Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos filha única! Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim.

Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.
Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres, rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris.

Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha.
Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar.
Resultado disso tudo: silêncio absoluto.

O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele.
Até que algo sensacional aconteceu. Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher, que eu acabei me tornando mulher demais para ele.
Ele quem mesmo?

Martha Medeiros

“Não podemos esperar que outra pessoa nos preencha ou nos complete. Sozinhas, somos as responsáveis por nossa Paz de espírito e nossa realização, seja ela pessoal ou profissional”.

O Que Torna Voce Diferente?

varias pessoas agindo diferente “Quantas vezes você balança a cabeça admirada: “ Como essa pessoa sente os fatos tão diferente de mim”!

Ficamos constantemente admirados com as diferenças de crenças,pensamentos e comportamentos das pessoas.
O sistema de crenças internas de cada pessoa faz com que ela goste ou deteste alguma coisa porque as crenças são individuais.Levamo-as tão à sério que delas não temos consciência .Sendo cada simples ação o resultado desse sistema de crença pois, ele é o núcleo da nossa personalidade.
Desde criança a pessoa elabora a “cena” da sua vida,frases feitas começam a ‘povoar’ os pensamentos e conduzindo suas ações,às vezes de uma forma inassertiva.

Muitas pessoas mesmo levando vidas infelizes se recusam a mudar suas crenças diante da vida,vêm que o padrão seguido lhes trazem sofrimentos, tornam pedintes,vulneráveis,mas desprezam os esforços no sentido de um amadurecimento,crescimento pessoal.

As pessoas gastam tempo e muita energia esperando e desejando que as coisas passem e acabam se frustrando.

Todos nos debatemos constantemente procurando manter ou não crenças inúteis e tendenciosas.Estatísticas mostram que 8O% dos pénsamentos que passam pela mente são inassertivos.

Muitas vezes esperamos que as coisas aconteçam de certo modo,mas será
que realmente queremos o que esperamos,ou quem sabe não damos conta…

“O inferno é o outro”- parafraseando Dante Alighieri,fazemos deste pensamento uma verdade absoluta,esquecemos que somos responsáveis por nossas escolhas e atos,o outro é somente um companheiro de viagem.

Na verdade todos os nossos atos são influenciados pela nossa auto- estima,muitas vezes não acreditamos na nossa força interna,o que nos impede de vencermos nossos limites.

Buscamos no mundo externo migalhas de prazer,aprovação ,segurança ou amor.

Quando percebemos que a felicidade vem do interno e não das coisas externas ,ou seja de dentro para fora,percebemos que nem o passado, nem as pessoas e coisas interferem em nossas vidas;isso nos faz ficar mais conscientes do presente e aí sim as coisas podem mudar através de insights,deixamos de ser joguetes de nosso padrão de comportamento viciado.

Os fatos são sentidos de diferentes formas e vistos de diferentes olhares porque um ponto de vista pode ter vários pontos.Depende de quem vê e como olha.

Pensar altera a bioquímica do corpo

ESQUIZOFRENIAAs interações psiconeuroendócrinas no corpo acontecem nos níveis psíquicos,hormonais,neurológicos influenciando o sistema imunológico podendo causar doenças físicas e psicossomáticas.

As interações psiconeuroendócrinas no corpo acontecem nos níveis psíquicos,hormonais,neurológicos influenciando o sistema imunológico podendo causar doenças físicas e psicossomáticas.

Pesquisas comprovam que as emoções fortes causam mudanças na bioquímica do corpo essas mudanças bioquímicas representam o aspecto físico ou material da emoção.
Ex: um pensamento hostil vai acumulando uma energia em nosso corpo, a raiva, depois de instalada deixa-nos em alerta,liberando altos níveis de adrenalina e cortisol causando o stress.

Quanto mais nos identificarmos com nossos pensamentos,com as coisas que nos agradam ou não,com nossos julgamentos e interpretações,ou seja ,quanto menos presentes como consciência observadora ,mais forte será a carga de energia emocional,tenhamos ou não conhecimento disso.

Se você não consegue sentir suas emoções,se as mantêm à distância,terminará sentindo-a a nível físico .Corpo e mente se encontram,daí surgem as doenças,fabricadas em nossa mente e serão retratadas em nosso corpo.As doenças psicossomáticas assim se manifestam.

Observe quando estiver reclamando,com palavras ou pensamentos,de uma situação ,reclamar é sempre uma não aceitação de algo que é,essa atitude tem uma carga inconsciente negativa.Quando você reclama transforma-se em vítima.

Quando falamos a fala fica no controle portanto mudamos a situação no momento em que agimos ou falamos,caso necessário e possível,temos que resolver a situação ou mesmo aceitá-la.

Uma atitude qualquer é melhor que nenhuma,principalmente se você está há muito tempo paralisado numa situação infeliz faz se necessário ter coragem para enfrentar e arriscar..Se for uma atitude inassertiva ,pelo menos há uma aprendizagem,caso em que deixará de ser um erro.

O mêdo nos mantêm paralizados, quando ele vir,deixe-o aparecer, sinta-o admita-o, observe-o, concentre-se nele, esteja totalmente presente.Isso corta a ligação entre o pensamento e o mêdo.

Se não há nada mesmo a fazer aceite a situação abandonando toda a resistência , parafraseando Dalai Lama no livro “Uma Ética para o Terceiro Milênio”. Assim o falso infeliz eu interior que adora se sentir vitimizado, não conseguirá mais sabotar você.

Muitas vezes não atingimos os nossos projetos externos mas não percebemos o quanto atingimos sucesso em nossos projetos internos.

Como pensava Albert Einstein precisamos às vezes tentar e tentativas não são erros e sim aprendizagens.As tentativas fazem parte do processo que nos capacita ao sucesso.

Pensar em coisa ruim,nem pensar,diz a sabedoria popular.

Perdas Necessárias

Caro leitor, no meu consultório a queixa do cliente sempre gira em torno da depressão.Nos consultórios psiquiátricos os clientes saem com receitas de antidepressivos na esperança de se curarem das angústias da vida.

Angústia e depressão são sentimentos diferentes podem levar ou não a depressão.

depressaõ ,chuva,pensativa

A depressão é o local da tristeza profunda, do fundo do poço, é uma doença.A angústia é um desencantamento “provisório”.

A angústia existencial não é doença é um vazio ,esse sentimento que invade cada um de nós e nos deixa meio perdidos em devaneios e pensamentos,medos,balanço de vida,questionamentos,os porquês,dúvidas que desde a muito tempo esteve lá no fundinho das nossas mentes,mudanças que adiamos sempre e nos incomodam.

Angústia diante das perdas necessárias da vida que acontecem naturalmente ou através das escolhas que fazemos.Ao fazer uma escolha estamos matando todas as outras e as perdas acontecem chamando de volta a angústia num vai e vem infinito.

Perdas necessárias como o envelhecimento,as questões das relações afetivas,profissional,a morte.
O vazio angustiante nos dá uma sensação de adormecimento na alma, dor no fundo do coração ou um aperto no peito ,nos fazendo sentir um desamparo e abandono muitas vezes traduzido por solidão. Como dizia a escritora Clarice Lispector,um “desamparo de estar vivo” .

A angústia existencial é inerente ao ser humano acontece sem pedir licença para no incomodo que causa sacudir a nossa existência e nos levar ao caminho do auto conhecimento.
O mundo é um lugar complexo mas precisamos essencialmente somente de nós mesmos para sobreviver.Somos nós somente cada um de nós que irá acompanharmos até o fim da nossa vida,sonhar nossos sonhos e realizá-los e chorar as nossas dores mais íntimas. As pessoas que nos amam são somente companheiros por mais que sintam por nós.

Muitas vezes o que chamamos de depressão é uma passagem de sofrimento angustiante que não se cura com remédio mas com a capacidade de encararmos a vida com suas limitações. Abandonando o passado,deixando o futuro acontecer no seu tempo e decidirmos viver o presente.

Fazermos as pazes conosco com as nossas imperfeições buscando sentido para a vida.Redescobrirmos o que realmente vale a pena.

O que realmente te faz feliz?

Uma só idade para ser feliz

Existe somente uma idadesorrisos chovendo pra gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade pra gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.

Fa.

Poesia de um amigo .

Estilos de paquera – “O corpo fala”

UTILIZANDO TÉCNICAS DE NEUROLINGUÍSTICA-
VOCÊ CONSEGUE PERCEBERmulher sensual,enigmática

O ESTILO AUDITIVO- Como o próprio nome denota são pessoas muito ligadas ao sons.O ouvido é o orgão chefe.Gostam muito de ouvir,usam mais o raciocínio lógico enquanto analizam o que ouvem.

Adoram enfeitar as orelhas é interessante observar que essas pessoas têm os brincos como adorno preferencial.As roupas são pouco importantes.

O sorriso é mais apertado e contido. Um sorriso educado.Se diverti e “desconfia” da visual por ser tão faladeira.

Por serem auditivas é preciso estarmos atentos ao tom de voz, qualquer ruido é percebido pelo estilo auditivo.

O ESTILO SENSORIAL(CINESTÉSICAS) -As pessoas sensorias são ligadas ao toque.Gostam de tocar,alisar,sentir,perceber.
O estilo de roupa que mais chama atenção dessas pessoas são as sensuais.

Enqunto se diverti com a auditiva a sensorial se distrai e se perdi no seu mundo, viajando nos seus pensamentos.

As sensoriais tendem a ser mais hedonistas gostam de experênciar as coisas.Valorizam o prazer , o que muitas vezes passam ser pessoas mais “levadas”, porém apesar da aparência mais sexy magoam-se com facilidade.

O ESTILO VISUAL- As pessoas visuais pintam imagens com palavras e usam as mãos para representá-las.Gostam de falar, olhar,observar. As visuais são energizadas tendem ser mais detalhistas.

Adoram se enfeitar.Gostam de andar bem vestidas e se dedicam muito ao externo,a aparência.O orgão do corpo mais aguçado das visuais são os olhos , isso explica a necessidade de dedicar horas à vaidade.

As visuais iluminam o mundo com seu sorriso largo e vibrante.Dá gargalhadas seduzinodo as pessoas com sua alegria e um brilho nos olhos que encanta.

Somos uma mistura desses estilos mas se ficarmos atentos veremos que há uma predominância de um deles e uma tendência maior de outro associado. As visuais predominam em relação aos outros estilos.

As pessoas visuais geralmente são mais sorridentes.Vai uma dica:sorrir é fundamental nas relações.
O sorriso seduz e deixa uma leveza no ar.

Amor só não basta- “Relacionamentos afetivos”

AMOR SÓ NÃO BASTA

codependencia2

Por mais que o poder e o dinheiro tenham conquistado uma ótima posição no ranking das virtudes, o amor ainda lidera com folga.

Tudo o que todos querem é amar. ENCONTRAR ALGUÉM QUE FAÇA BATER FORTE O CORAÇÃO E JUSTIFIQUE LOUCURAS. Que nos faça entrar em transe, cair de quatro, babar na gravata. Que nos faça revirar os olhos, rir à toa, cantarolar dentro de um ônibus lotado. Tem algum médico aí?

Depois que acaba esta paixão retumbante, sobra o quê?

O amor. Mas não o amor mistificado, que muitos julgam ter o poder de fazer levitar. O que sobra é o amor que todos conhecemos o sentimento que temos por mãe, pai, irmão, filho. É tudo o mesmo amor, só que entre amantes existe sexo. Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja.

O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus. A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta. Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em Cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna.

Casaram. Te amo pra lá, te amo pra cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas. Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso. É preciso que haja, antes de mais nada, respeito. Agressões zero. Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência. Amor, só, não basta.

Não pode haver competição. Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidade. Tem que saber levar. Amar, só, é pouco. Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas para pagar. Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar. Tem que ter um bom psiquiatra.Não adianta, apenas, amar.

Entre casais que se unem visando a longevidade do matrimônio tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um. Tem que haver confiança. Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou. É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão. E que amar, ‘solamente’, não basta.

Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado. O amor é grande mas não é dois. É preciso, convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm! Um bom encontro aos que procuram! E felicidades a todos nós!

Insatisfação é inveja ?

amigos brigados A MASSACRANTE FELICIDADE DOS OUTROS

Ao amadurecer, descobrimos que a grama do vizinho não é mais verde coisíssima
nenhuma.
Estamos todos no mesmo barco. Há no ar um certo queixume sem razões
muito claras.
Converso com mulheres que estão entre os 40 e 50 anos, todas com profissão,
marido, filhos, saúde, e ainda assim elas trazem dentro delas um não-sei-o-quê
perturbador, algo que as incomoda, mesmo estando tudo bem. De onde vem
isso?
Anos atrás, a cantora Marina Lima compôs com o seu irmão, o poeta Antonio
Cícero, uma música que dizia: “Eu espero/ acontecimentos/ só que quando
anoitece/é festa no outro apartamento”.
Passei minha adolescência com esta sensação: a de que algo muito animado
estava acontecendo em algum lugar para o qual eu não tinha convite.
É uma das características da juventude: considerar-se deslocado e impedido
de ser feliz como os outros são, ou aparentam ser. Só que chega uma hora
em que é preciso deixar de ficar tão ligada na grama do vizinho.
As festas em outros apartamentos são frutos da nossa imaginação, que
é infectada
por falsos holofotes, falsos sorrisos e falsas notícias.
Os notáveis alardeiam muito suas vitórias, mas falam pouco das suas
angústias,
revelam pouco suas aflições, não dão bandeira das suas fraquezas, então
fica
parecendo que todos estão comemorando grandes paixões e fortunas, quando
na verdade a festa lá fora não está tão animada assim.
Ao amadurecer, descobrimos que estamos todos no mesmo barco, com motivos
pra dançar pela sala e também motivos pra se refugiar no escuro, liternadamente.
Só que os motivos pra se refugiar no escuro raramente são divulgados
pra consumo externo.
“Todos são belos, sexys, lúcidos, íntegros, ricos, sedutores, social
e filosóficamente corretos. Parece que ninguém, nenhum deles, nunca levou porrada.
Parece que todos têm sido campeões em tudo”.
Fernando Pessoa também já se sentiu abafado pela perfeição alheia, e
olha que na época em que ele escreveu estes versos não havia esta overdose
de revistas que há hoje, vendendo um mundo de faz-de-conta. Nesta era de
exaltação de celebridades – reais e inventadas – fica difícil mesmo achar que a
vidada gente tem graça. Mas tem.
Paz interior, amigos leais, nossas músicas, livros, fantasias, desilusões
e re-começos, tudo isso vale ser incluído na nossa biografia. Ou será
que é tão divertido passar dois dias na Ilha de Caras fotografando junto
a todos os produtos dos patrocinadores?
Compensa passar a vida comendo alface para ter o corpo que a profissão
e modelo exige? Será tão gratificante ter um paparazzo na sua cola cada
vez que você sai de casa? Será bom só sair de casa com alguém todo tempo
na sua cola a título de segurança?
Estarão mesmo todas essas pessoas realizando um milhão de coisas interessantes
enquanto só você está em casa, lendo, desenhando, ouvindo música, vendo
seu time jogar, escrevendo, tomando seu uisquinho?
Tenha certeza que as melhores festas acontecem sempre dentro do nosso
próprio apartamento.

(Martha Medeiros, 44 anos, jornalista e poeta)

%d blogueiros gostam disto: