O Bom de Viver.com.br

Início » 2014 » maio

Arquivo mensal: maio 2014

O Que é Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica? TCAP

TCAP – Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica
Saúde & Qualidade de Vida – Patologia & Nutrição       

Quando os episódios de compulsão alimentar ocorrem numa freqüência de dois dias por semana, por no mínimo 6 meses, associados a perda de controle de alguma maneira e não são seguidos de tentativas de compensação e perda de peso, trata-se de uma síndrome denominada Transtorno da Compulsão Alimentar (TCA). (VITOLO et al, 2006). Este transtorno foi descrito pela primeira vez nos anos 1950. No entanto, foi apenas nos anos 1990 que este problema teve seu potencial patológico reconhecido, e sua caracterização colocada em pauta de estudos.

Trata-se da ingestão demasiada de alimentos, quaisquer que sejam eles, em um período determinado de tempo (estimado em 2 horas). Os episódios são acompanhados pela sensação de perda de controle do que foi ingerido e sua quantidade, sentimento de alívio, mas que não traz prazer. O indivíduo percebe que o que faz não tem sentido algum, mas mesmo assim, por ser uma compulsão, os episódios são recorrentes e contínuos. A compulsão alimentar traz sentimentos de angústia, vergonha, nojo e culpa. (AZEVEDO et al, 2004).

É importante citar que a ingestão demasiada de alimentos não é seguida por tentativas de perda de peso e compensação do que foi ingerido, diferenciando o compulsivo alimentar do bulímico nervoso. Normalmente, os portadores de TCAP têm IMC maior do que os com BN (Bulimia Nervosa), além disso, estes últimos apresentam maiores níveis de restrições calóricas. Os pacientes com TCAP podem ser obesos ou não. São aqueles indivíduos que tentaram diversas dietas e que fracassaram e desistiram. Desta forma, apresentam grande flutuação de peso. Possuem auto-estima baixa e preocupam-se com a forma física e o peso em maior intensidade do que aqueles que não possuem o distúrbio.

A ansiedade e estresse são os principais fatores que levam ao aumento das compulsões alimentares. Aumentam a secreção de cortisol, que estimula a ingestão de alimentos e o aumento de peso. (AZEVEDO et al, 2004).

Azevedo et al (2004) indica que a prevalência de portadores desta síndrome está entre obesos e que 20% das pessoas que apresentam compulsão alimentar, possuem diagnóstico de TCAP. E Cordás (2004) afirma que afetam principalmente mulheres jovens e adultas. Em um estudo publicado em 2006, Vitolo et al conta que há grande prevalência de TCAP em universitárias, principalmente da área da saúde, com grande associação com o excesso de peso.

O tratamento nutricional tem como principal objetivo reverter as alterações do estado nutricional provocadas pela compulsão alimentar e promover hábitos alimentares mais saudáveis. Desta forma o paciente aprenderia a forma correta e saudável de perder peso, se alimentar bem, sem que haja inadequações de consumo, no caso, a ingestão excessiva e nada saudável de alimentos. O diário alimentar é muito utilizado no tratamento nutricional da compulsão alimentar periódica, pois é neste local que o paciente registra os alimentos ingeridos, principalmente os alimentos dos episódios de compulsão. É importante anotar o sentimento do paciente no momento do episódio e se existia fome naquela hora. É um exercício que, aos poucos, gera controle e disciplina ao paciente (Latterza, 2004). No entanto, pode levar a um ato de punição pelo próprio paciente, pois ele percebe o “erro” que cometeu.

Como, normalmente, o portador deste distúrbio apresenta peso acima do normal, o tratamento também consiste em dieta prescrita com o objetivo de perda de peso, aumentando, assim, a auto-estima do paciente o que ajuda no tratamento no distúrbio. Alguns profissionais da área de nutrição indicam certas maneiras de contornar e aliviar os efeitos nutricionais negativos que este transtorno pode trazer ao paciente:

  • Fracionar a dieta o máximo, prestando sempre atenção na quantidade a ser ingerida. O paciente comerá muitas vezes ao dia, e isso lhe dará a sensação que está comendo muito;
  • No início do tratamento, estes alimentos a serem ingeridos devem ter baixo teor calórico, pois o paciente ainda não tem seu limite sob controle, e pode exagerar na quantidade sem exceder a recomendação calórica (ex: ingerir um melão inteiro);
  • Estar a par de alimentos vendidos em embalagens individuais e indicá-los. Assim, o paciente irá comer um pacote inteiro, e terá a impressão de que comeu muito. No entanto, terá ingerido bem menos do que costumava ao ingerir uma embalagem de tamanho normal.
  • Propiciar encontros freqüentes com o paciente. Desta maneira, o controle da situação será mais garantido, e o nutricionista irá sempre mostrar ao paciente aquilo que está sendo feito e que pode ser melhorado.

O nutricionista deve ter um olhar crítico, pois muitas vezes o paciente não percebe o problema que tem, ou mesmo não o assume. Cuidados neste sentido devem ser tomados, como prestar atenção se o paciente continua a ganhar peso, mesmo com tratamento nutricional e buscar a sua causa.

Por se tratar de uma compulsão, onde o psicológico exerce grande papel, o tratamento do paciente deve ser de âmbito interdisciplinar, com grande interação entre o nutricionista, médico e o psicólogo.

É uma síndrome com características conflitantes e incertas, e são necessários mais estudos para maiores informações deste distúrbio tão presente em nossa população.

 

Fonte: REGNUTRI

Como Cultivar a Empatia? – A Arte de Encantar

esquinas Há gente que apenas com dizer

uma palavra acende a ilusão

e os rosais; que com o sorrir

entre os olhos nos convida

a viajar por outras zonas,

nos faz recorrer toda magia.

Há gente que só com dar a mão

 

rompe a solidão, põe a mesa

serve o cozido, coloca as guirlandas

que apenas com o violão

faz uma sinfonia caseira.

Há gente que só com o abrir a boca

chega a todos os limites da alma,

alimenta uma flor, inventa sonhos,

faz o vinho cantar nas jarras

e depois fica como se nada.

E a gente vai apaixonado pela vida

desterrando uma morte solitária

pois sabe que aí, numa próxima esquina,

há gente que é assim tão necessária.

Hamlet Lima Quintana

SOLIDÃO ENSINA ESTAR JUNTO

solidao                                                               Eu Preciso Aprender a Ser só!

 

 

DIÁRIO DE UM JORNALISTA

9521051A solidão, existem tipos, é valiosa para os alquimistas existenciais. Proporciona conhecer a si mesmo. Tornar-se, antes de tudo, amigo da sua própria pessoa. Conhecer-se profundamente, sem intromissão e fragmentos externos. Você é você naquele momento. Ensina. Torna, com certeza , a pessoa mais sábia do que ajuntada com uma multidão.

Tem gente que não suporta a solidão. Acho que não toleram a si mesmo por muito tempo, então, carecem de cuidar da vida alheia e pessoas ao redor, constantemente. A solidão não é um defeito e nunca será. É a oportunidade de introspecção necessária para se redescobrir. Estou, obviamente, referindo-me da solidão desejada. Consciente.

Particularmnente, tive a oportunidade de conhecer essa parte da existência ainda na minha infância, sem planejamento, mas a desfrutei quando me encontrei como amigo de mim mesmo em primeiro lugar, ouvindo a voz do inconsciente, transformando-me pessoa resolvida comigo e depois capaz de compreender o…

Ver o post original 199 mais palavras

FILMES SOBRE SEXUALIDADE

filmeOs Amantes de Maria

Tudo sobre Minha Mãe

Para um Soldado Perdido

A Primeira Noite de Um Homem

Estação Doçura

 

 

Pérolas para Lidar com a Loucura do Dia a Dia

Sempre digo que somos nosso maior inimigo, vivemos aprisionados pelo ego . O ego(eu) é o que “deseja”, que impõe e ao mesmo tempo nos torna a pessoa que somos, singulares.Dia das Crianças no Ambulatório de Neurologia do HC

No livro de autoria do padre Fábio de Melo, “Quem me Roubou de Mim” podemos fazer uma leitura sobre o quanto somos prisioneiros de nós mesmos. Somos sequestrados diariamente pelos nossos vícios, padrões de comportamentos repetitivos inassertivos, pensamentos repetitivos que tiram nosso sono e não levam a solução nenhuma.

Sequestrados somos  quando o “outro” deixa de ser um companheiro de viagem e torna-se nosso objeto de escolha, como dizia Sartre: “O inferno é o outro” .  A vida é feita de escolhas, quando deixamos o outro escolher por nós somos seqüestradores de nós mesmos . Penso que o inferno é o outro no momento que ocupamos o lugar de vítima e nos fragilizamos, mesmo admitindo que em algumas situações somos impotentes  para  agir porém não nos tornamos reféns, podemos ter controle dos nossos pensamentos e sentimentos para sermos resilientes .

O controle do ego é muito importante neste processo onde as emoções e os desejos poderão ser frustrados, projetos adiados, escolhas reestruturadas  e novos caminhos traçados. Saber lidar com emoções como a frustração, perda, angústia e a falta com um olhar crítico e maduro faz parte da trajetória na busca da conquista.

Questionar o que é perder? Perder muitas vezes é ganhar. Focar na meta percebendo que o caminho é o trajeto para alcançá-la sabendo que os objetivos traçados muitas vezes devem ser revistos e que podem falhar porém não significa que a meta será perdida.

Álex Rovira ,escritor, economista fala sobre três maneiras de enfrentar a vida:

Atitude observadora:  São pessoas que preferem deixar os outros assumirem os papéis dasua vida. São pessimistas e costumam pensar que não têm controle da sua vida.

Atitude crítica: São pessoas que reclamam de tudo e jamais assumem a culpa pelas suas dificuldades. Não têm controle da sua própria vida.

Atitude ativa: São pessoas que aprendem com tudo que os cerca. São entusiasmados e positivos, e , é claro, são capazes de manter as rédeas de sua própria vida.

“Não posso levar o mundo nos ombros se mal suporto o peso de meu casaco de inverno.”Kafka

 

 

 

 

PORQUE CONSUMIR DEMAIS FAZ MAL PARA A SAÚDE?

imageO que pode implicar o consumismo compulsivo na sustentabilidade ambiental?                                                                                  Um olhar sistêmico  da situação global responde adequadamente esta pergunta.  A palavra sustentabilidade  significa  ter consciência  do desenvolvimento econômico e tecnológico sem agressões ao meio ambiente.                                                          Essa consciência sobre consumismo responsável  para muitos soa como algo  irrelevante porém o exagero da produção de matéria prima, gasto de energia leva a um desgaste  do ambiente  dentro  de uma visão sistêmica dos recurso naturais.                                                Há  também a questão da biodiversidade, poluição do ar, efeito estufa causados pelas indústrias, transportes e outros.                                       Portanto quando se fala em proteção ambiental deve- se levar em conta a responsabilidade pessoal nessa luta por um mundo melhor .                                                                                                                                                                                                             Pensar em saúde  física e emocional buscar qualidade de vida precisamos antes de tudo de termos uma visão hol’istica do meio em que vivemos, HOLOS( todo). Uma visão do todo que nos rodeia percebendo que cada fator influência o outro.                 Cabe a cada pessoa fazer a sua parte desde economizar para  evitar desperdícios até  criar pensamento crítico para questionar se realmente precisa do objeto de desejo que compra.

A Arte de Transformar

APRENDENDO A CRIAR FOTOS

Entrevistando F’lavio Gikovate- FELICIDADE

flavio FACEBOOK NÃO TRÁS FELICIDADE.

18 de janeiro de 2013 por Flávio Gikovate

 
Ao interpretar ele mesmo na novela “Passione”, como o terapeuta do personagem Gerson (vivido por Marcello Antony), o médico psiquiatra, psicoterapeuta e conferencista ficou conhecido em todo o Brasil.
Apresentador do programa “No Divã do Gikovate”, transmitido na rádio CBN ao domingos, às 21 horas, Gikovate tem mais de 50 mil seguidores no Twitter, foi colunista de importantes jornais e revistas e publicou mais de 20 livros, sobre os mais diversos assuntos.
Nesta entrevista, o médico alerta para o mal que as redes sociais podem provocar nos usuários ao criar a ilusão de que a vida postada pelos “amigos” é a verdadeira.
As redes sociais têm algum aspecto positivo?
O Facebook, assim como todos os novos equipamentos que nos permitem acesso ao mundo “virtual”, tem aspectos positivos e negativos. Permite que se reencontrem personagens relevantes do nosso passado e o conhecimento de novos “amigos” que poderão vir a ser verdadeiros parceiros sentimentais.
Por que, então, o Facebook não traz felicidade?
O Facebook tem um caráter exibicionista, em que as pessoas postam fotos e descrevem situações ideais, de férias, de pratos deliciosos que estão comendo em locais privilegiados e coisas do gênero, que são capazes de despertar admiração e inveja em quem não está vivenciando aquela situação por falta de tempo ou por falta de meios materiais. O Facebook é um local de um exibicionismo grosseiro e que está a serviço de uma autopromoção um tanto patética.
O senhor afirmou em entrevistas que o Facebook é palco de autoerotismo e exibição? Por quê?
Assim como na vida real, no universo virtual deveríamos ser cuidadosos ao nos exibirmos. Isso pode indicar apenas o desejo de despertar a inveja dos que estão nos observando, o que é uma óbvia manifestação agressiva e maldosa. Acho fundamental compreender que o mundo virtual se distingue muito pouco do real: um é a representação do outro.
Qual seria o maior prejuízo da nossa participação nas redes sociais?
O de estimular indevidos sentimentos de inferioridade, já que as pessoas exibem momentos especiais de suas vidas, que não têm nada a ver com o cotidiano delas. Revistas no estilo de “Caras” fazem a mesma coisa. Zigmund Bauman, um sociólogo polonês radicado na Inglaterra, afirma que o Facebook é uma espécie de revista “Caras” individual, onde a pessoa comum se exibe da mesma forma que fazem as celebridades nas revistas impressas. Acho que ele tem razão.
Seria melhor não usar as redes sociais?
É claro que elas devem ser usadas, mas com as devidas reservas. Trata-se de local de intercâmbio de informações, de busca de aproximação com pessoas com as quais se tem afinidades, novas parcerias sentimentais, de amizade e trocas de todo o tipo.
Como seria, então, a melhor forma de usar essas redes sociais?
O que deve ser evitado é o excesso de dois tipos. O primeiro é renúncia à vida real para viver só por conta do que acontece no Facebook. Existem pessoas quase que viciadas nesse tipo de convívio. O segundo excesso seria o exibicionismo grosseiro e agressivo, em que o objetivo é se destacar provocando a inveja dos supostos “amigos”.
Por que tanto interesse pela vida alheia?
A curiosidade pelo que acontece com as outras pessoas sempre existiu: no passado, as pessoas ficavam com cadeiras na porta de suas casas para saber como viviam seus vizinhos! Todos leem com interesse as páginas policiais para saberem dos crimes e assaltos. Todos querem saber como vivem as outras pessoas, talvez até para terem alguma ideia interessante a ser copiada para a própria vida.
Então, esta é uma curiosidade natural?
Nada de mais natural do que querer saber da vida das outras pessoas. O que é grave, que deve ser evitado, é viver criticando modos de ser e de viver que sejam diferentes dos nossos.
Renata Lacerda
rlacerda@redegazeta.com.br
Fonte: A Gazeta
LinkedInDeliciousDiggemailFacebookGoogle ReaderMSN ReporterRedditTwitter

MÃE & FILHO- Amor que Chega Doer

dia-das-maes-mensagens-com-rosas                                                                       Amor que rima com flor

Onde há amor há dor, porém penso que não temos que escolher a dor para amar.

Mas o que tem haver isso com o dia das mães? Dia em que todos só pensam em amor rimando com flor.

Amor de mãe é o único que ás vezes se perde em meio a dor sem escolhas por ser incondicional. Uma dor que não é sádica que chega a ser sadia.

Mãe, é o primeiro lar,  o ventre materno que alimenta, que troca emoções que se entrelaça as almas.

O parto é o amor que rima com a dor para gerar a vida,e ao gerar esse ser já virou amor incondicional que rima com flor , ama porque ama,uma criatura que nem “conhece” por ser seu filho. Amor de flor, belo, puro,admirável, singelo, forte, eterno, colorido.

Amor que vai rimar com dor pela vida afora por ser como uma flor, apesar de bela carrega com ela espinhos que ferem.

Mãe é colo, é mistério  pois no seu coração, pensamento e muitas vezes em atos imperceptíveis, sutis, protege, cuida, defende, educa, sorri, chora, sofri, emociona, luta, comemora perdas e ganhos ao caminhar ao lado do filho.

Como a água contorna, ultrapassa, desvia, rompe caminhos, obstáculos exercitando a paciência, flexibilidade, criando possibilidades, gerenciando,educando gerando energia. Como a água ao fazer  o caminho na construção da vida do filho vai aguando com amor  toda a história no aguardo de juntos desaguar no rio da realização  do filho.

Amor, dor e flor, brota no meu pensamento uma rosa.

Rosa de todas cores, de todas as espécies porque mães cada uma é de um jeito mas com certeza amam incondicionalmente.

Desejo um ano com muitas flores para todas nós mães que conhecemos o que é amor de mãe.

 

 

 

Exercícios combatem transtornos emocionais

Como os Exercícios Podem Ajudar os Transtornis Emocionais?

Aula de Pilates no Espaço Kaizen. Todos os direitos reservados Foto: Espaço Kaizen/ HT Pilates

Praticar exercícios físicos só nos faz bem. Lembra que falamos aqui que o Pilates ajuda a prevenir e tratar a depressão? Pois é, a prática de atividades físicas pode combater vários transtornos emocionais comuns para muita gente. Melhora a autoestima, desestressa e até aumenta a libido. Olha só:

Estresse

Os exercícios servem como uma válvula de escape para o estresse do dia a dia. Eles liberam a endorfina, uma substância que regula as nossas emoções. Modalidades que envolvem a respiração e a concentração são fundamentais para o alívio de tensão e estresse.

Pânico

De acordo com o portal Minha Vida, a atividade física regular ajuda a acalmar as pessoas que sofrem ataques de pânico. A causa também é a endorfina, que tem efeito calmante no organismo.

Leia também:
Melhore a sua qualidade do sono praticando Pilates
7 motivos para praticar atividade física

Autoestima

Ver o post original 170 mais palavras

%d blogueiros gostam disto: