O Bom de Viver.com.br

Início » 2016 » agosto » 18

Arquivo diário: 18 18+00:30 agosto 18+00:30 2016

Características comportamentais dos emocionalmente inteligentes.

Não viver no passado as comportamentais dos emocionalmente inteligentes.

Segundo Navis Branberry, presidente de uma empresa que se dedica á inteligência emocional, a capacidade de gerir as emoções e manter a calma- quando sob pressão é fundamental para alcançar o sucesso.
Quando de se vive no passado, o mais provável é nunca se conseguir seguir em frente. Deste modo, o fracasso pode ´´minar“ a sua autoconfiança e impedir-lo de ser bem sucedido no futuro. ´´As pessoas emocionalmente inteligentes sabem que o sucesso na sua capacidade de ultrapassar o fracasso, e não podem fazer isso ao viverem no passado “, explica Bradberry. Apesar dos fracassos já cometidos, importante as pessoas acreditarem que nada se consegue sem riscos e esforços, acreditando sempre.

Não se refugiar nos problemas

Para Bradberry, o foco da atenção determina o estado emocional, ou seja, quando uma pessoa se fixa num problema as emoções serão negativas. Esse tipo de sentimentos vai influenciar de forma negativa e estressantes. Esse tipo de sentimentos vai influenciar de forma negativa o desempenho pessoa. Deste modo, ao invés de se ´´afundarem“ nos problemas as pessoas emocionalmente focam- se em procurar soluções para resolverem o problema.
Não se foca na perfeição

Na pesquisa desenvolvida, as pessoas bem sucedidas não procuravam a perfeição, conscientes de que esta não existe. ´´Quando a perfeição e o objetivo, a pessoa sentirá sempre a sensação de fracasso, gasta o seu tempo a lamentar o que deixou de fazer e que rea capa de alcançar“, acrescenta Bradberry.
Não viver cercados de pessoas negativas
As pessoas que estão constantemente a queixar-se dos seus problemas e que são negativas representam um perigo para o sucesso dos que as rodeiam.
Não se preocupam com soluções, apenas pretendem levar alguém consigo ´´para a cova“, de modo a se sentirem melhor. Por estas razões e mais algumas, afaste-as de si. Mesmo que isso o possa fazer sentir-se mal e insensível, ´´ há um a linha que separa emprestar um ouvido simpático e ser sugado para dentro de uma espiral emocional negativa“, defende Bradberry.

Não ter medo de dizer não

´´ Dizer não é realmente um grande desafio para a maioria das pessoas“, admite o especialista. Contudo, quando é necessário dize-lo, as pessoas bem sucedidas fazem-no sem rodeios, e de forma direta.

%d blogueiros gostam disto: