O Bom de Viver.com.br

Início » Posts etiquetados como 'autenticidade'

Arquivo da tag: autenticidade

Depois Que o Carnaval Passar! Prometo, Vou Ficar Com a Camisa Listrada.

‘” O segredo da existência não consiste somente em viver, mas em saber para que se vive”( F. Dostoiévski)

Em meu consultório, como terapeuta, carnavaltrabalho com meus  clientes  a diferença do significado das palavras  vida e viver. Entender o sentido das palavras é muito importante para nortearmos o que representamos para nós e como nos projetamos no mundo.

Viver é ter vida dentro de si, é sentir a energia fluindo como um espiral que impulsiona  o desejo de buscar um encontro consigo mesmo e mergulhar no desejo de vivenciar a plenitude do nosso ser. O que de autêntico existe em nós.

É perguntar o que  gosto, o que tenho feito nos últimos tempos para  sentir me realizado. O que gostava de fazer que em meio a correria do “tenho que ser”, “tenho que fazer” fez com me distanciasse da minha essência , daquelas “coisitas” que me faziam vibrar, esquecesse eu, eu mesmo e 0 comigo mesmo. Aquela alegria que somente eu somente, sei me oferecer.

Penso que essa é a diferença entre viver e estar vivo.

Estar vivo não é passar pela vida, viver é construção, é ter responsabilidade com a própria vida, é compreender que a vida se escreve no presente, esse livro não aceita rascunho é escrito de próprio punho, não cabe a mão do outro para segurar a nossa mão .

Nossos sonhos são realizados por nós, quem realmente vai viver até o fim do nosso lado somos nós mesmos, por mais que tenhamos companheiros de viagem. Os companheiros e amigos podem nos compreender mas não conseguem sentir o que lá dentro de nós estamos sentindo realmente, para assim quantificar o tamanho da nossa alegria e tristeza por mais que tentamos expressá-la.

Somos nossos maiores companheiros, como dizia William Shakespeare, um dia você aprende que ao invés de receber flores, plante seu jardim e colha suas flores, construa seu mundo.

A vida é o encontro do ser humano com o mundo e muitas vezes pensamos que o mundo que vem de encontro a nós. Somos seres de ação, nós que interagimos, portanto as coisas só acontecem a partir de nós.

Carnaval, mascarados, fantasias, bandinhas de música, chuvas de serpentina . O que todos buscamos no carnaval? Sonho, alegria, festa, coração que pulsa, vida em plenitude, vigor. Para outros carnaval é descansar, mas um descansar diferente com ar de alegria e festejo. Uma data que as pessoas se dão o direito de fazerem suas escolhas e de serem alegres.

Carnaval é data que todos nós sabemos o que fazer, escrevemos com  nossa própria letra. É um descompromisso com o compromisso de estar vivo.

Quando o carnaval passar vou ouvir violão e ver a lua, vou continuar a minha folia interna. Isso é ser feliz. Sempre digo isso quando  me sinto viva.

Estar vivo é quando nos pegamos rindo sem saber porque,  e percebemos para que viemos para este mundo, não preocupando com o porquê.

Quando o carnaval passar vou continuar “vestindo minha camisa listrada e sair por ai” cheio de vida, espero que possamos sentir que merecemos isso.

É irracional, cara! Amar pelo Amor

Amor. Um Olhar Real e Romantico

Ser Diferente é Fazer diferença? Visão de Mundo

pessoas diferentesVejo muitas pessoas dizendo que o mundo mudou, que nos tempos de hoje as coisas pioraram muito.

Será que o mundo nas questões de relacionamento entre as pessoas mudou mesmo? Ter padrão é o padrão.

A liberdade de expressão, movimentos para quebrar paradigmas, as diversas crenças, o pensar diferente e a busca de viver as diferenças talvez seja o motivo desses pensamentos tão rígidos.O diferente se destaca e muitas vezes incomoda pois tendemos repetir padrões e crenças.

A previsibilidade traz segurança porém empobrece pois restringe a nossa visão de mundo. Acabamos preconceituosos e limitados. Na natureza observamos um exemplo disso,”os protozoários sendo unicelulares reproduz de forma assexuada, são totalmente independentes no momento da reprodução se dividem em dois , não há recombinação genética o que com o tempo leva a degeneração da espécie”. A raça humana precisa de “todos”, somos seres gregários.

Hoje a pluralidade de pensamentos , estilos, comportamentos, padrões diversos menos engessados, mudou o estilo de visão do mundo. Antes o diferente era punido, hoje muitas vezes criticado. Diante do medo de ser discriminado, julgado pelo olhar do outro reprimimos nossa autenticidade e desejos que nos preenchem a vida.

Mudar o olhar diante dos fatos e pessoas, apreciar novos sabores, mudar a rotina dos nossos costumes, apreender coisas novas é uma oportunidade  para vislumbrar as possibilidades que o mundo comtemporanêo  nos traz.

Aprender com o antigo e se abrir para o novo. Que sentido tem mantermos um olhar limitado do mundo?

A beleza das diferenças  nos abre para a realização e o respeito ao outro porém anda de mãos dadas com a intolerância de muitos.

Uma mulher que sai sozinha para bares, restaurantes, boates, ainda é alvo de críticas e desrespeito, o homem que tem uma relação estreita com outro homem é chamado de homossexual.O homossexual ao viver suas relações afetivas em público é alvo de “caras e bocas,” e assim caminha a humanidade perpetuando crenças e preconceitos.Cabe aqui dizer que a homofobia é algo desprezível.

Jesus, para os que acreditam Nele, vem na contramão de tudo isso ao conviver com todos como iguais e ao quebrar costumes e crenças.

O mundo mudou quando percebemos que hoje podemos ser mais coerentes e autênticos com nossas idéias e desejos. Para os que respeitam as diferenças, que fazem diferente, para os inusitados, criativos, que conseguem sustentar suas escolhas, para os corajosos, os que têm auto estima.

Auto estima é sinônimo de coerência consigo mesmo, capacidade de lidar com frustrações, saber dizer não, admirar a si próprio sem se comparar com o outro. Ser autêntico.

Como diz Eugênio Mussak,educador e escritor-” A troca favorece.Ficar preso em uma cultura única, abster-se de ver o outro, de tentar entender o diferente, negando o valor do semelhante que nem é tão semelhante assim, empobrece, emburrece , diminui.”

Conviver somente com  iguais passa pela “ignorância”, procurarmos aprender com o outro, juntarmos aos diferentes, constrói novas perspectivas de vida.Encurta distâncias, promove aprendizagem e relações mais sadias.

Nas relações afetivas cria vínculos duradouros, crescimento dos pares, aprimora o amor e o autocrescimento.

Por que Preocupamos Tanto Com o “Outro”?

” Äs vezes é preciso tomar decisões rápidas, decisões de vida ou morte. O prisioneiro preferia deixar que o destino escolhas por ele…. Quem visse nossos rostos durante a viagem de Auschwitz até um campo de concentracão da Bavária, olhando,          pelas barras da janelinha do vagão de prisioneiros, as montanhas de Salzburgo com seus picos brilhando ao pôr do sol,        nunca acreditaria que aqueles eram os rostos de homens sem qualquer esperanca de vida e liberdade. Apesar desse fator ou talvez por causa dele -, éramos arrebatados pela beleza da natureza que não desfrutávamos há muito tempo”. V. Frankl

SONHO

Viktor Frankl, foi prisioneiro no campo de concentracão de Auschwitz, psicólogo, criador da logoterapia, “busca de sentido”.

Chegou em Auschwitz levando consigo um manuscrito científico que com certeza era o pertence que mais prezava e que lhe foi tomado como todo o resto. O pensamento era seu mais precioso bem a partir daquele momento.

A busca do sentido para Frankl é a solucão para resolver as neuroses. Saber o que somos e o que seremos é a chave para a solucão das neuroses e do equilíbrio mental. Uma visão humanista do aspecto psicológico, já que acreditava na premissa,”Quem tem uma razão para viver é capaz de suportar praticamente qualquer coisa”, frase de Nietzsche e repetida várias vezes por ele.

O sentido da vida é em primeira instância a busca de uma realizacão; é uma construção, portanto “o sofrimento pode ser visto não como um sintoma de neurose, mas como uma conquista humana”.”

“Enquanto a psicanálise freudiana requer introspeccão e autocrítica ( “princípio de prazer”) e Adler prega ( “desejo de poder”), a logoterapia tenta criar um distanciamento para que a pessoa veja sua vida de uma perspectiva mais ampla o “desejo de significado”.

Mas se ainda não identificamos o que podemos vir a ser? Frankl observa que o indivíduo moderno tem de lidar com uma liberdade quase excessiva. Não vivemos de acordo com nossos instintos nem tampouco a tradicão nos seve de guia. Nesse vácuo existencial, a busca de sentido frustrada é compensada pela necessidade de dinheiro, sexo, de diversão e até de violência.”

De acordo com a logoterapia a tríade para o sentido da vida está em:

– Criar um trabalho ou realizar uma facanha.

– Experimentar algo ou encontrar alguém (amor).

– A atitude que assumimos para evitar o sofrimento.

Ao conhecer a história e experiência de V. Frankl com a miséria humana no campo de concentracão torna se um fato a capacidade do ser humano de surpreender e ir além mesmo quando pensa que não pode mais. A busca do sentido está diretamente ligada a um encontro do indivíduo com ele mesmo, com a coerência de atitudes.

O amor, autenticidade, responsabilidade, paciência e coragem são atitudes em prol da realizacão do sentido da vida. Sabe se que muitas vezes Frankl se pegava imaginando encontrando com a esposa, ministrando palestras, redigindo novos artigos enquanto outros se jogavam nas cercas elétricas.

O pensamento e a liberdade de escolha torna o indíviduo livre dos grilhões dos pré e ou determinismos pois as situacões são meros fatos, que servem de pano de fundo para cada indivíduo construir sua história. O sofrimento, alegria, frustacão, realizacão são atitudes diante dos fatos independentes de quais forem.

Fonte: 50 Clássicos inspiradores para transformar sua vida, Tom Butler-BowdonPreocupamos

%d blogueiros gostam disto: