O Bom de Viver.com.br

Início » Posts etiquetados como 'política'

Arquivo da tag: política

E SE EU MORRER HOJE?

(mais…)

ALGUMAS RESPOSTAS PARA A BANALIZAÇÃO DO MAL

Nas cenas do cotidiana, o mal se banalizou. Mais um exemplo são as cinco palavras, tatuadas à força na testa de um jovem de 17 anos: “Eu sou ladrão e vacilão”. A tortura ocorreu por ele ser suspeito de roubar uma bicicleta em São Bernardo do Campo (SP).

Agressão no adolescente gerou indignação, mas também admiração pelos internautas.
Somos um país que lidera o ranking mundial de linchamentos e homicídios, que banalizou assistir à população fazer justiça com as próprias mãos. Porém, podemos encontrar na filosofia e na psicanálise algumas respostas para entender a banalização do mal. Segundo Theodor Adorno, a principal característica da sociedade de massas não é somente a perda da individualidade, mas a perda da sensibilidade.

O que estamos assistindo todos os dias é a herança da apatia burguesa, que contaminou indivíduos de todas classes sociais, que se tornaram indiferentes a esses acontecimentos e que ainda defendem de forma odiosa essas atitudes brutais nas redes sociais.
Assim o mal embrutece determinadas pessoas diante do sofrimento causado pelo guerra, miséria, injustiça, tortura, repressão e barbárie, como sendo normal a coisificação humana. No seu livro “A Banalidade do Mal”, Hannah Arendt, mostrou que a multidão é incapaz de fazer julgamentos morais e insensível a toda dor e injustiça.

A psicanálise interpreta que a banalização do mal na sociedade atual é a vazão que algumas pessoas fornecem a sua pulsão de morte, conhecida como tânatos. Uma vez que odiosidade e a agressividade são forças que coabitam no ser humano e se manifestam nos conflitos banais de maneira mórbida em nosso cotidiano.

A pulsão de morte simboliza no interior do ser humano como autodestruição, e para o exterior se revela como pulsão de destruição. Por isso, existem pessoas que deixam o seu “demônio interior” falar mais alto, estabelecendo o limite entre o somático e o psíquico, arrastando o organismo a agir em direção do mal. Fiódor Dostoiévski escreveu que sabemos secretamente da existência de um demônio oculto, que habita em nós.

Não é por acaso que fundamentalismo político e religioso se aproveitam da banalização do mal, para destruir o espaço público, criando uma sociedade de indivíduos atomizados, que zanzam pelos shoppings centers tentam esquecer o medo da pobreza. Além disso, esse discurso de ódio desrespeita as diferenças e quer impor as suas normas através da força, condenando todos os que pensam de outro modo.

Entretanto para Jean-Jacques Rousseau o homem só se torna homem, ou seja, torna-se humano pela piedade e a piedade está presente nas pessoas de boa vontade, pois dessa virtude brotam a generosidade, a clemência, a bondade e a benquerença. São poderes mentais, emocionais e espirituais que colocados em ação asseguram a defesa da dignidade humana e recusam a banalização do mal, a fim de bloquearmos a “força luciférica”, que insiste morar dentro de nós.

Por

Jackson César Buonocore, 19 junho de 2017. Psicologias do Brasil.

 

Como A Europa Superou as Crises e Guerras?

Eu entrei no governo com um objetivo: transformar o país, de uma sociedade dependente em uma sociedade autoconfiante, de uma nação dê-para-mim em uma nação faça-você-mesmo. Margaret Thatcher

Estive na Inglaterra e na Polônia pude experenciar a vida e o resultado da superação de um povo que lutou pela liberdade, superou grandes guerras.

Um povo marcado por lutas, perdas, superação.

Pude experenciar o  crescimento  destes  países  e a qualidade de vida do  povo.   Usufruem  da força de seus trabalhos , da auto estima, do patriotismo  por terem como governantes  pessoas  altamente capazes, democráticos, líderes verdadeiros.

Brasil, Torço por você. Para que nós brasileiros possamos moralizar nossa pátria e fazê-la uma potência .

Gigante pela própria natureza. Pátria amada Brasil!

 

Leia mais: http://www.mensagenscomamor.com/frases_de_margaret_thatcher.htm#ixzz3Hf9JlGQfthatcher2

Copa De Todas As Copas- Brasileiros e Governo Podem Cantar o Hino?

Bandeira-do-Brasil--269751_293990p

A vida é um jogo, para uns o jogo do mal para outros o jogo do bem. Mas jogo é para estrategistas, observadores, lutadores, para fortes, humildes, disciplinados e para quem tem metas a cumprir. Para lutar com braço forte.

O livro, A Arte da Guerra onde tantos se espelharam para vencer batalhas resume toda sua história em três regras: conheça si mesmo, conheça seu inimigo, crie estratégias.

Para que isso aconteça precisamos ter conhecimento, pensamento crítico, honradez, qualidade no comportamento, escolhas assertivas, equilíbrio emocional, abrir mão de ilusões e viver a realidade.

Saber lidar com a tristeza e a perda como com a alegria e o sucesso. Um povo alegre demais se perde em meio ao caos, a purpurinas e festejos. Se torna indolente, fraco e arruma jeitinho para evitar a dor. É um povo imaturo.

O povo brasileiro carece de honrar a si próprio . O Brasil não pode ser samba , futebol, bunda, e o velho refrão ” no final dá tudo certo”.

Uma grande nação é construída, alicerçada por um povo que pensa, que luta, que tem brio e se envergonha diante da derrota por falta de desempenho, dedicação e infantilidade .

A fragilidade da seleção brasileira diante da perda de um companheiro, o povo usando máscaras e chorando por um jogador que saiu do time ( como se os outros times também não perdessem jogadores), um time é feito de uma equipe, um técnico instável, temperamental nas suas decisões, um governo que precisa de contratar estrangeiros para desenvolver um projeto de uma copa realizada dentro do próprio país, mostra que a falta de competência e amor a pátria tem raízes muito mais profundas, isto vem contradizer o que ouvimos por muitos, serão os iletrados os responsáveis pela ignorância que assola o país?

imageAs eleições está batendo em nossas portas e ainda ouvimos:” o povo não sabe votar, vamos perder para a bolsa família, vou votar no menos pior. Todo político rouba mesmo”. Povo acomodado, que máscara usamos para irmos as urnas?

Será mesmo que não podemos fazer nada? A conscientização do povo brasileiro pode passar do povo para o povo. Precisamos somente de discursos políticos se pensamos serem eles responsáveis pela nossa atual situação?

Somos gigantes pela própria natureza? Terra adorada . Entre outras mil és tu Brasil. Pátria Amada!?

O nosso governo, o povo brasileiro poderia cantar este hino?

Nossa pátria é gentil por nos oferecer tanto e receber tão pouco.

Um povo heróico ? Um herói se torna herói porque faz o que tem que ser feito  nos momentos que necessitam dele, independente se está preparado ou não. É o que Nietzsche dizia sobre o devir- se lançar no mundo. O que estamos fazendo para tirarmos o país da ditadura da ignorância, da corrupção que estamos vivendo?

Podemos ser um povo proativo mas somos reativos, falação é reação. Precisamos de pessoas que fazem, um povo que é corrente para frente. O que podemos fazer para chegarmos até os menos informados, como podemos fazer nossos próprios discursos para ajudar nosso país votar melhor? Até que ponto realmente de corpo e idéias invertiremos na luta para nosso país vencer?

A lei não pode ser superior ao povo. Ela deve ser respeitada mas jamais poderá subjugar os nossos pensamentos. Todo comportamento é resultado de um pensamento, o que andamos pensando e como estamos atuando?

Precisamos entrar no campo da vida com a cabeça erguida, cantar o hino como patriotas . Amar nossa pátria.

“Grande pátria desimportante, será o seu fim”!?

 

 

brasi

 

 

BRASIL! Grande Pátria.Eleição 2014, Vamos Lutar Por Ela.

imageimage

image

Falar a verdade é coisa de “doido sem medo”

homem andando rua sozinhoPolítica.Coisa de Doido?

DIÁRIO DE UM JORNALISTA

A recepcionista do meu prédio me parou e me disse:

– Doutor, o meu filho diz sempre que é fã do senhor ao ler seus artigos. Ele fala assim: “Este é o cara”

Eu me recompus rápido e pedi-lhe que agradecesse ao seu filho pelo incentivo.

Mas, em seguida ela completou:

Eu digo a ele que o doutor é doido, escrevendo estas matérias de denúncias contras esses homens

Então parei e me interessei pelo raciocínio dela em contradito ao do filho.

– A senhora acha que eu deveria parar de denunciar?

Respondeu:

– Não, a gente precisa saber o que está acontecendo. Esses políticos são tudo corruptos!

Disse-lhe:

– Então sou um “doido” que devo continuar?

Explicou:

– Não, doutor! Eu acho que outra pessoa teria medo, é por isso. O senhor não tem não?

Então respondi, recebendo dela um sorriso gracioso:

– Não! Eu não tenho medo, justamente…

Ver o post original 58 mais palavras

O Que é Política: Do Amor & Poder ?

“Santo Agostinho sugere que há dois tipos de política. A “política do amor”, a que ele deu o nome de Cidade de Deus, e a “política do poder”, a que ele deu o nome de Cidade dos Homens. Tudo tem haver como o amor e o poder se relacionam. dia das maes3Pensada utopicamente a política do “poder do amor” pode ser definida como a arte da jardinagem aplicada às coisas públicas. Jardinagem é a arte e a técnica que busca estabelecer harmonia entre o homem e a natureza. Jardins são amigos. Nessa política , o poder é ferramenta e instrumento do amor: esse é o sentido da ética .Ética é, sempre, limitacão do poder. Pensada realisticamente, a “política do amor ao poder” é o conjunto de artimanhas que tem por objetivo estabelecer o poder de um grupo sobre um determinado território. Nessa política, os sonhos de de amor estào subordinados e a servico do poder. O que significa que nela o poder é o valor supremo e não existe uma ética que o controle. ”

Diante das manifestacões penso….

“Não acredito que o crucial seja o sofrimento. Um povo tem uma capacidade infinita para o sofrimento. Ë capaz de aceitar as maiores privacões e de conviver com os maiores sacrifícios se acreditar na justica da causa e da beleza do futuro. Prova disso são os povos que, por decênios , lutaram e lutam contra a opressão, em meio ao mais cruel sofrimento….mas somente quando é parte para se criar um futuro melhor.”

Rubem Alves

Há de se exigir….

Antes de tudo ètica. Que políticos usam a ética para colocar limites ao uso de seu poder? Transparência.

Princípios éticos são fundamentais para seguir regras, respeitar limites, reconhecer a cidadania.

Maquiavel, nos seus conselhos ao príncipe dizia: “O que é mais importante? Que o príncipe seja virtuoso ou que o princípe pareca ser virtuoso?”

A esperteza política responde, “que ele pareca virtuoso” . Parecer virtuoso é ser opaco, revertir-se de uma cortina sem transparência.

“Brasil mostra a sua cara quero ver quem paga pra gente…..Verás que o povo teu não foge a luta….Apesar de você amanhã há de ser …”

Brasil terra adorada!

%d blogueiros gostam disto: