O Bom de Viver.com.br

Início » Posts etiquetados como 'prazer'

Arquivo da tag: prazer

Sexualidade- Muito além do Sexo

COMO A PSICOLOGIA EXPLICA O AFETO E A SEXUALIDADE

Tentaremos nesse texto, expor sobre o que a psicologia entende da relação entre esses temas: Afeto e Sexualidade.

Hoje na sociedade, é evidente que o afeto entre as pessoas, está se tornando cada vez mais complexo. Vemos nas ruas, crianças abandonadas pelos pais, pais sendo maltratados pelos filhos, casal de namorados vivendo seu namoro como marido e esposa, namorados (as) totalmente obsessivos em suas relações, relação mal estabelecida entre professores e alunos, amizades entre diversas outras.

O afeto é expresso através dos sonhos, desejos, forma de se comportar, de falar e também é o que muitas vezes nos faz viver.

Sem dúvida quando se fala de afeto, ninguém melhor do que os poetas para expressá-lo de uma maneira clara. Os poetas atuam nesse tema interpretando com perfeição, sobre as condições internas das pessoas.

Um autor que pontua o afeto como algo de grande importância, é Marx, que cita “os sentidos espirituais”, que envolve o amor, as vontades, entre outros afetos. Ele afirma que é através dos sentidos que o homem define seu meio e também é definido.

Quando o afeto passou a tomar espaço nos estudos, a ciência por sua vez, preocupada com os estudos da razão, pressupôs que os afetos atuam como modificadores de um determinado objeto, podendo ser até deformadores dos mesmos.

Pelo assunto ser afeto, podemos nos estender para o conceito de emoção e sentimento, que são definidos de forma mais precisa da seguinte forma:

  • Emoção: Um estado intenso e pontual que expressa à afetividade. Esse estado acontece como uma explosão interna e pontual.
  • Sentimento: É o que carrega menos intensidade, que não acontece uma explosão momentânea acompanhada de reações orgânicas. É por sua vez durável.

Diante de tudo levantamos a questionamento, do porque é importante estudar emoção, sentimentos, afetos em psicologia.

Levando em consideração o individuo em sua totalidade, a psicologia se insere nesse contexto, percebendo o individuo em sua subjetividade, pois a forma com que a pessoa entende o afeto se comporta ou lida com ele, faz com que ela seja única em suas experiências. Sendo esses fatores ferramentas cruciais para o entendimento do psicólogo.

Agora entendendo um pouco sobre a afetividade, vamos compreender qual é sua relação com a sexualidade. Pode até parecer simples pensar nas possibilidades de correlacionar esses temas, porém deve-se passar por muito cuidados.

Primeiramente, o que causa preocupação, é que quando falamos sobre sexualidade se pensa apenas em “sexo”, e muitas vezes se determina isso e acaba o assunto por aí, dispensando quão grande é sua complexidade. Isso pode acontecer porque a sexualidade está muito desconhecida no meio em que vivemos e causa disso pode ser devido aos tabus que a sociedade prega, dessa forma excluindo uma compreensão mais abrangente.

Fonte: Australia Counselling

As dúvidas relacionadas a esse tema são inúmeras e na maioria das vezes estão acompanhadas de preconceitos e informações incorretas, podendo vim também através de crenças erronias.

Isso tudo nos permite definir o sexo da seguinte maneira: prazer, desejo, proibição, medo, perigo, culpa e erros.

A sexualidade na juventude é um exemplo para ser visto, pois são limites envolvendo sentimentos de desejos e repressão. A partir daí já podemos identificar um contexto que abrange tanto sexualidade como o afeto, e a forma que eles atuam em conjunto.

Algumas pesquisas apontam e também podemos perceber que a abertura para a discussão sobre esse tema, infelizmente, carrega um discurso pouco articulado, distorcido e algumas vezes até mal informado.

A psicologia acredita que essa situação pode acontecer por trazer alguns aspectos moralistas que podem ser causadores de angustias.

A sexualidade é um aspecto trabalhado por diversas áreas em que envolve: medicina, biologia, fisiologia, antropologia entre diversas outras, sendo assim esta envolvida no entendimento sobre os afetos (sentimentos) que estão ligados a sexualidade.

Entende-se que a escolha do melhor parceiro (a), vai além dos instintos sexuais (sexo), isso acontece, pois nós humanos escolhemos por prazeres únicos e individuais e não pela reprodução.

Para a psicologia, não tem como falar de sexualidade sem falar de Freud, que entende que a sexualidade funciona como um ciclo, e que seus prazeres (libido), estão concentrados nas diferentes partes de seu corpo, conforme suas fases do desenvolvimento. Esse forte impulso sexual chamado de Libido, está vinculado as nossas relações, e investimos essas pulsões nas pessoas que nos dão prazeres ( não apenas sexual) , porém isso vem de um imenso campo complexo , que não se estabelece regras.

A paixão, nesse contexto , é um investimento libidinal que oferecemos para o outro, esse investimento que fazemos é de fundamental importância que venha acompanhado de uma  defesa, pois é através da defesa que se tem o equilíbrio para que não seja uma entrega total de si para o outro, pois é necessário que esse investimento tenho uma certa recompensa e assim servindo para o nosso amadurecimento , depois desse mecanismo quando saudável pode surgir o que se é chamado de amor. Através dessa forma de troca que acontece o investimento libidinal com o enriquecimento do EU.

 

Pensando assim, surge a dúvida em relação aos nossos amigos , já que nós os amamos , questionamos de que forma essa energia sexual funciona.

Na amizade existe sim esse impulso libidinal, porém há inibição de sua finalidade genital, nesse mecanismo acontece uma dessexualização, para que esse afeto se transforme de forma mais fraterna. Na amizade também é importante ressaltar que acontece uma idealização em que os aspectos admirados passam a ser imitados por nós, dessa forma investindo libido de uma forma diferente do que acontece na relação amorosa sexualizada.

Diante do exposto, podemos fazer uma das possíveis relações entre afeto, sexualidade e psicologia. E também podemos perceber o quanto é complexo o seu estudo.

Referência:

BOCK, Ana Mercês Bahia; FURTADO, Odair; TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. Saraiva, 2002.

 

O Bom De Viver é Saber Que Não Podemos Enxergar O Que Vem Pela Frente…

vida 1Certa vez uma pessoa dormia mal porque morava num porão escuro. Ela sonhava em colocar uma lâmpada no ambiente . Depois de muito trabalhar, contratou um eletricista e colocou a tão desejada lâmpada.Antes de colocá-la, pensou: Agora finalmente vou dormir tranquilo.”Ao acendê-la, uma surpresa. Perdeu o sono. Por quê?

Porque a luz expôs a realidade que ela nunca vira:  sujeira, insetos, aranhas. Só descansou depois de uma bela faxina. Infelizmente alguns preferem o escuro! Tenha coragem para acender a luz do seu porão e fazer uma faxina na sua vida.

Podemos encontrar alegria na dor, esperança na tempestade, segurança nas tormentas. Podemos aprender a cantarolar, brincar, viver a vida com paixão e prazer.

Experimente libertar a criança que existe em você. Fazer coisas inusitadas, que normalmente não faz,  sair da rotina, andar por ares nunca respirados, conversar com estranhos, alcançar qualidade de vida no palco de sua alma.

Experimente velejar nas águas da emoção e investir em você.

Apaixone pela vida!

 

Fonte: Dez Leis da Sabedoria

Augusto Cury

Sonhos.Qual o Papel dos Sonhos?

            Bem antes da psicologia surgir,  Platão
 sonhos2
 já compactuava com Freud e outros quanto o papel dos sonhos como fonte de realizacão de desejos..…”revolvem-se nos sonhos, quando a parte mais gentil da alma adormece e cessa o controle da razão; então, a besta feroz que habita dentro de nós, pletórica de carne ou bebida, agita-se e abala o sono, indo, vigilante, em busca do que possa satisfazer seus próprios instintos. Como sabeis, afugentará todo o pudor e prudência, nada podendo detê-la. Na fantasia, não recuará ante a cópula com uma mãe ou seja quem for, homem, deus ou fera, ou o alimento proibido, ou um ato sanguinário. Numa palavra percorrerá qualquer extensão de despudor e loucura
A República de Platão.
Edição da Oxford University, New York, 1945

Sexo & Sexualidade

amor4Fala se muito sobre sexo, vamos falar sobre sexualidade.O sexo é o ato em si, o coito ele está inserido na sexualidade.A sexualidade envolve todos os sentidos do corpo e da vida da pessoa.
Para se viver uma vida sexual plena e prazerosa deve-se estar atento a sexualidade.
Sexo é entrega, cumplicidade, atração, tesão, sem isso, o ato torna-se mecânico, e logicamente, desprovido de prazer. Explore seu corpo, toque-se, masturbe-se e conheça suas reações. Só conhecendo seu corpo você pode dizer ao parceiro(a) como e onde você gosta de ser tocado(a). O orgasmo é um direito, mas não necessariamente um dever! Nem sempre estamos com disposição para o sexo, o que não significa que temos algum problema por causa disso. Vida sexual feliz não se traduz em fazer sexo todos os dias e sim em fazer sexo bem-feito, sexo de qualidade.
SEXO ORAL: O sexo oral proporciona muito prazer pela umidade constante, pela mucosa fina e altamente sensível e pela língua com muita movimentação. Já o orgasmo e sua intensidade dependem de muitos fatores, físicos e principalmente os emocionais. Não existe uma única receita para que ele consiga dar mais prazer à sua parceria.
Cada pessoa é diferente e tem uma resposta diferente aos diferentes estímulos. A conversa é essencial e a paciência, fundamental. É importante que se entenda que a resposta sexual da mulher é mais lenta do que a do homem. Durante a relação, a pressa está proibida e as preliminares são indispensáveis.
ORGASMO: O orgasmo é a conclusão do ciclo de resposta sexual que corresponde ao momento de maior
prazer sexual. Pode ser experimentado por ambos os sexos, dura apenas breves segundos e é sentido durante o ato sexual ou a masturbação causando uma intensa excitação das zonas erógenas genitais. O orgasmo pode ser detectado com a ejaculação na maioria das espécies de mamíferos masculinos.
O orgasmo é caracterizado por intenso prazer físico, controlado pelo sistema nervoso autônomo, acompanhado por ciclos de rápidas contrações musculares nos músculos pélvicos inferiores, que rodeiam os órgãos sexuais e o ânus, sendo frequentemente associados a outras ações involuntárias, como espasmos musculares em outras partes do corpo, um sensação geral de euforia e, com freqüência, vocalizações.
É um período que grande relaxamento e queda da pressão arterial, devido à liberação da Prolactina. Além de redução, temporária,do desejo.
Dr.Celso Marzano,CEDES-SP
Saiba mais sobre sexualidade e sexo no site : http://www.museudosexo.com.br

Cadê Eu?

O BOM DE VIVER É TER PRAZER DE SER QUEM EU SOU.codependency

Cadê Eu? Cadê eu? perguntava-me. E quem respondia era uma estranha que me dizia fria e categoricamente: tu és tu mesma. Aos poucos, à medida que deixei de me procurar fiquei distraída e sem intenção alguma. Eu sou hábil em formar teoria. Eu, que empiricamente vivo. Eu dialogo comigo mesma: exponho e me pergunto sobre o que foi exposto, eu exponho e contesto, faço perguntas a uma audiência invisível e esta me anima com as respostas a prosseguir. Quando eu me olho de fora para dentro eu sou uma casca de árvore e não a árvore. Eu não sentia prazer. Depois que eu recuperei meu contato comigo é que me fecundei e o resultado foi o nascimento alvoroçado de um prazer todo diferente do que chamam prazer.

Clarice Lispector, in ‘Um Sopro de Vida’

Estilos de paquera – “O corpo fala”

UTILIZANDO TÉCNICAS DE NEUROLINGUÍSTICA-
VOCÊ CONSEGUE PERCEBERmulher sensual,enigmática

O ESTILO AUDITIVO- Como o próprio nome denota são pessoas muito ligadas ao sons.O ouvido é o orgão chefe.Gostam muito de ouvir,usam mais o raciocínio lógico enquanto analizam o que ouvem.

Adoram enfeitar as orelhas é interessante observar que essas pessoas têm os brincos como adorno preferencial.As roupas são pouco importantes.

O sorriso é mais apertado e contido. Um sorriso educado.Se diverti e “desconfia” da visual por ser tão faladeira.

Por serem auditivas é preciso estarmos atentos ao tom de voz, qualquer ruido é percebido pelo estilo auditivo.

O ESTILO SENSORIAL(CINESTÉSICAS) -As pessoas sensorias são ligadas ao toque.Gostam de tocar,alisar,sentir,perceber.
O estilo de roupa que mais chama atenção dessas pessoas são as sensuais.

Enqunto se diverti com a auditiva a sensorial se distrai e se perdi no seu mundo, viajando nos seus pensamentos.

As sensoriais tendem a ser mais hedonistas gostam de experênciar as coisas.Valorizam o prazer , o que muitas vezes passam ser pessoas mais “levadas”, porém apesar da aparência mais sexy magoam-se com facilidade.

O ESTILO VISUAL- As pessoas visuais pintam imagens com palavras e usam as mãos para representá-las.Gostam de falar, olhar,observar. As visuais são energizadas tendem ser mais detalhistas.

Adoram se enfeitar.Gostam de andar bem vestidas e se dedicam muito ao externo,a aparência.O orgão do corpo mais aguçado das visuais são os olhos , isso explica a necessidade de dedicar horas à vaidade.

As visuais iluminam o mundo com seu sorriso largo e vibrante.Dá gargalhadas seduzinodo as pessoas com sua alegria e um brilho nos olhos que encanta.

Somos uma mistura desses estilos mas se ficarmos atentos veremos que há uma predominância de um deles e uma tendência maior de outro associado. As visuais predominam em relação aos outros estilos.

As pessoas visuais geralmente são mais sorridentes.Vai uma dica:sorrir é fundamental nas relações.
O sorriso seduz e deixa uma leveza no ar.

%d blogueiros gostam disto: