O Bom de Viver.com.br

Início » Posts etiquetados como 'terapia'

Arquivo da tag: terapia

FILMES PODEM SER ÓTIMOS ALIADOS PARA ENCONTRAR MOTIVAÇÃO NO TRABALHO

Muitas produções do cinema não se limitam apenas a nos entreter e emocionar, elas podem trazer grandes lições de vida com exemplos de superação, motivação e sucesso.

Algumas, em especial, foram baseadas em fatos reais, outras são apenas obras da ficção, mas, se prestarmos atenção, todas elas podem conter mensagens que servem de inspiração para as conquistas no trabalho e na vida pessoal.

Nunca deixe que alguém te diga que não pode fazer algo. Nem mesmo eu. Se você tem um sonho, tem que protegê-lo. As pessoas que não podem fazer por si mesmas, dirão que você não consegue. Se quer alguma coisa, vá e lute por ela. Ponto final.

Um dos clássicos indispensáveis para quem está desanimado com assuntos profissionais é “À Procura da Felicidade” (2006). A produção mostra o exemplo de vida de Chris Gardner (Will Smith), um homem que enfrenta todos os tipos de dificuldade, mas não desiste do seu sonho de conquistar uma carreira de sucesso. Sua principal motivação é o seu filho de 5 anos, o qual cuida sozinho e procura fazer de tudo para dar a ele uma vida melhor. Um grande exemplo de amor e superação, baseado em fatos reais.

“É inacreditável o quanto você não sabe do jogo que tem jogado a vida toda.”

“O Homem Que Mudou o Jogo” (2011) faz uma excelente abordagem sobre um líder esportivo. Billy Beane (Brad Pitt), técnico de um time de beisebol com baixo orçamento, conta apenas com sua liderança e motivação para reconstruir uma equipe que perdeu os melhores jogadores para times mais ricos. Na sua determinação em ser vencedor, ele procura todas as opções para alcançar a vitória e chega à conclusão, que reunir jogadores veteranos descartados dessa modalidade pode resultar numa força fora do comum. O filme mostra que a união dos talentos individuais pode resultar em sucesso.

 

 “Não corra atrás do que não pode pegar.”

Em “Bem-Vindo ao Jogo” (2007), Huck Cheever (Erick Bana) é um excelente jogador de poker que precisa de uma quantia para se inscrever na equivalente à Copa do Mundo da modalidade, a World Series of Poker (WSOP). Na competição, ele poderá ter como adversário seu próprio pai, que abandonou a família e já foi campeão duas vezes deste mesmo evento. Travar uma batalha nas cartas com seu pai parece ser o principal motivo para Cheever participar do campeonato. Mas a maior lição para ele está por vir, através da sua namorada Billie (Drew Barrymore), que vai fazer com que ele enfrente a vida da mesma forma que enfrenta o jogo, usando o coração.

“Você está mudando a vida deste garoto. Não. Ele que está mudando a minha.”

O incrível “Um Sonho Possível” (2009) mostra a história de Mike (Quinton Aaron), um jovem negro que viveu todo tipo de rejeição, tanto do lar destruído quanto da comunidade pobre onde cresceu. Depois de passar por muitas escolas, foi adotado por uma família de classe alta que o amou, apoiou e o motivou. Leigh Anne (Sandra Bullock), sua mãe adotiva, apostou no seu talento e o ajudou a superar os desafios para se tornar um grande astro do futebol americano. As situações vividas neste filme, tanto pela família quanto por Mike, são inspiradoras, inclusive quando se trata do assunto adoção.

“Temos que aprender com nosso passado. Não devemos esquecer. E temos que ser melhores.”

Baseado em fatos reais, “Uma Lição de Vida” (2010) conta a história do queniano Kimani Maruge (Oliver Litondo), que, aos 84 anos, entra para a escola primária, após o governo aprovar a lei de ensino básico gratuito naquele país. O filme é uma lição de perseverança e mostra que não existe idade certa para realizar os sonhos e correr atrás dos direitos que nos são concedidos.

 

“Você pode fazer o que qualquer um faz, só que muito melhor.”

“Mãos Talentosas” (2009) segue essa linha comovente de filmes de superação de limites. Ben Carson (Cuba Gooding Jr) é um garoto afrodescendente e pobre, que sofria bullying na escola. Sua mãe, uma mulher analfabeta, o obrigava a ler dois livros por dia, até que ele passou a se dedicar totalmente aos estudos e se tornou um reconhecido neurocirurgião. A comovente história, baseada na vida real do Dr. Benjamin S. Carson, é motivadora o suficiente para acreditarmos que não existem limites para alcançar os sonhos, e que cada um pode chegar onde deseja através do seu próprio potencial.

 

“Nunca esqueci. Nem por um momento. Eu sabia que te encontraria no fim. É nosso destino.”

No filme “Quem Quer Ser Um Milionário?” (2008), Jamal Malik (Dev Patel) é um jovem de 18 anos que cresceu numa favela na Índia. Ao participar de um programa de TV, ele só precisa acertar a pergunta final para ganhar uma grande soma em dinheiro. Mas bem nessa hora a polícia o prende por suspeitar que ele está trapaceando. Para provar o contrário, Jamal conta sua história de vida, todas as dificuldades e situações ruins que enfrentou, mostrando que estes foram os motivos que o fizeram estudar e adquirir os conhecimentos necessários para concorrer no programa. O seu amor por Latika (Freida Pinto) também foi um dos motivos para perseguir o sonho de vencer o show de perguntas e respostas.

Autor: Miguel Lucas, 17/05/2017. Escola Psicologia.

Você Sabia? Vamos Descobrir Juntos, Nova Iorque.

Os duendes do WordPress.com prepararam para este blog um resumo de 2014

 

Um comboio do metrô de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 5.000 vezes em 2014. Se fosse um comboio, eram precisas 4 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo

Por que Dormir é Terapêutico? Mente e Terapia

Tenho trabalhado com meus clientes a “arte de parar”, sim “arte”. Parar, escutar o silêncio nos tempos de hoje tornou-se artigo de luxo. Para ouvir, refletir, pensar e percebermos nós mesmos e o externo é necessário parar, o que para muitos significa perder tempo, ser improdutivo.ronco

A pequena parada depois das refeições,tirar um cochilo. Dormir mais cedo e mantendo uma constância no horário de deitar, favorecer um sono tranquilo para que a mente descanse e o cérebro possa realizar todas as fazes do sono. Para que o cérebro, a mente, durante o sono possa sonhar e fazer a limpeza do que precisa ou não ficar em nossa memória.

O barulho intenso do trânsito, alertas dos aparelhos celulares, o uso de gadgets até  a facilidade de  sacar a câmera  destes aparelhos para fotografar e o uso excessivo de eletrônicos, internet e gadgets têm contribuido para nos deixar cada vez mais plugados no externo e menos voltado para nosso mundo interno. Em um mundo cheio de ruídos a distração nos torna cada vez mais distantes da assertividade.

Não é de se admirar que as pessoas estejam queixando de estar com problema de memória, cansaço mental. Ouvindo uma cliente que tem problema de audição, ela argumentou que tem dificuldade de usar o aparelho nos ouvidos por causa do barulho que o mundo faz. Idosa , o mundo dela era mais silencioso que nos tempos modernos.

O cérebro precisa de associar  coisas, elementos, situações, os sentidos e as impressões pessoais para memorizar. A memória é abstrata, construída através das atividades neuronais. A repetição da experiência vivida é essencial para que seja armazenada.

Como constatou a psicóloga Linda Henkel ao se concentrar atenção genuína em algo, aquilo ficará na sua memória. Pesquisa feita pela psicóloga com estudantes fotografando peças de museu levou a constatação que a preocupação em fotografar deixa muitas vezes as pessoas perderem detalhes das peças deixando para depois o o ato de observar como o acesso exagerado da internet. Essas “artimanhas” acabam sendo usadas como muletas para as pessoas prejudicando a memória, a medida que se evocarmos lembranças  o cérebro será  ativado e fará associações.

O filósofo suíço Max Picard afirma que nada mudou mais a natureza do homem quanto a perda do silêncio. ” O silêncio é o início de tudo. De onde surge a criação, a saúde física e mental, o auto conhecimento, a paz interior. O ritmo acelerado e ruidoso causa muitas vibrações mentais, dificultando a coerência de pensamentos, aumentando o ruído interno.A nossa prática mental reflete muito no ambiente externo.”

Reeducar nosso tempo e a quietude tornou-se tão necessária que grandes empresas como  a Nike, tem incentivado seus funcionários a pararem um pouco antes de reuniões, enviar emails importantes, fazerem  pausas para mentalizar situações e sentimentos agradáveis. Dentro de hospitais estão sendo criados espaços para as pessoas  participarem de programas de relaxamento e energização para maximizar a qualidade dos tratamentos.

O empreendedor loic Le Meur criou um programa hoje utilizado pelas empresas para ensinar as pessoas desligarem. O programa pode ser baixado através de um aplicativo, é chamado de Get Some  headspace. Silenciar para diminuir ansie- dade , o stress e melhorar a performance. 

Nessa busca de parar para silenciar é importante respeitarmos o tempo de cada um para que do seu jeito e do seu modo o ser humano encontre seu  caminho para canalizar e revitalizar suas energias.

Parar para buscar a  sanidade e a paz interior.O coração só escuta quando se faz silenciar.

Sentimento de Culpa. Como trabalhar isto?

coracãoA história de  Louise Hay

“Estrupada aos 5a de idade continuou sofrendo abuso sexual até a adolescência. Apesar das tentativas frustradas da mãe de dá-la em adocão conseguiu fugir de casa. Ainda na adolescência se tornou mãe.

Foi garconete, manequim, casou-se duas vezes, divorciou e se tornou conselheira religiosa, estudando na Maharishís international University, em iowa,  comecou a trabalhar como guia de meditacão transcendental. Tornou-se ministra desenvolvendo seu próprio trabalho, editando o livro Cure  o seu corpo, cujo conteúdo trata das questões metafísicas das doencas corporais. Ao descobrir que estava com câncer utilizou suas técnicas para ajudá-la no tratamento. Aos 70a é escritora mundialmente conhecida.

A essência do ensinamento de Hay é o amor que cada um deve ter por si mesmo e a dissipacão da culpa, processo que, segundo ela torna o indivíduo mentalmente livre e fisicamente saudável.

Como na terapia cognitiva Hay vê no pensamento toda a potencialidade de mudanca do indivíduo. Romper com pensamentos inassertivos, crencas limitadoras vencer o medo e a culpa constroem comportamentos e acões saudáveis.

A raíz das doencas está ligada aos sentimentos de mágoa, raiva, ressentimento, revolta, ira, inveja, quando o indivíduo perdoa é o comeco da cura. Perdoar muitas vezes a si mesmo e ao outro, mesmo quando esse dito “outro” não pede o perdão. O “outro” muitas vezes não percebe que causou algo por isso o perdão faz parte do agente que perdoa, e não o contrário do que se espera, que o outro peca perdão. Perdoar para se “curar” . Sr. perdoe, eles não sabem o que fazem, parafraseando Jesus na sua crucificacão.

O que pensamos de nós mesmos? O que nos adoece?

Mudar os pensamentos, deixar para trás o que não faz sentido, ficar com o que realmente importa. Crencas fazem parte da moral ou de aprendizagens podem serem reorganizadas,refutadas portanto ser ético consigo mesmo. A febre é somente um sintoma que nos leva a buscar conhecer qual é a doenca, assim sendo a situacão é somente o detonador de algo que estava latente dentro do indivíduo. Desencadeada a situacão emerge o problema, mas ele já estava instalado, quieto ou atormentando, espiando o momento para (re) surgir.

Praticar o amor próprio de maneira verdadeira e sentir-se merecedor de uma vida plena, feliz e próspera. Trabalhar a auto confiança, auto estima lembrando que as pessoas são somente companheiras, ser feliz independe do outro, aprender a ser só. Companheiro de si mesmo.

Focar os fatos positivos mudando o olhar diante de si mesmo e da situacão. “Um ponto de vista é somente a vista de um ponto”, ser flexível, proativo, ao se deparar com o problema evitar ser reativo. O indivíduo proativo ocupa a posicão de agente da acão, deixa o papel de vítima e busca solucões, percebe que focar no problema alimenta sentimentos negativos, adoece o corpo e a mente. Usar uma linguagem positiva, pensamentos positivos para se sentirem motivados.

Praticar a gratidão. O que posso fazer com o que vida me traz? Fazemos escolhas a cada momento, a vida é o resultado dessas escolhas portanto ela nos devolve o que oferecemos a ela. Trabalhar a culpa como sinalizadora para o crescimento pessoal, usar o sentimento de culpa somente para refletir um comportamento e deixá-la para trás aceitando as limitacões e imperfeicões que cada um de nós carregamos, praticar a humildade.

Em seus livros e palestras Louise Hay insiste na premissa: “Pare de se criticar!” O amor é o caminho para a cura já dizia Freud.

Terapia Familiar um estudo em Minas Gerais

INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como objetivo buscar evidências na literatura de como surgiu e se desenvolveu a terapia familiar em Minas Gerais.

Quais foram os precursores da terapia de família,como evoluiu a terapia sistêmica e como se estabeleceu em meio a tantas abordagens terapêuticas.

Quais movimentos aconteceram no Brasil para difundir e promover o crescimento o aprofundamento na teoria e prática da terapia sistêmica.

As bases epistemológicas e teóricas no atendimento sistêmico de família e redes.

Família e casal da tradição a modernidade é um dos temas que abrange esse estudo.

A metodologia utilizada foi a pesquisa sistemática, descritiva e através de coleta de dados utilizando entrevista semi estruturada ,a entrevistada é uma psicóloga que atua na área da Terapia familiar Sistêmica. O tema abordado é sobre o movimento da Terapia familiar em Minas Gerais.

A terapia de família surgiu em meados do século passado o foco de estudo de maior expressão foi os Estados Unidos e em alguns estados da Europa.Logo após expandiu-se para vários estados da Europa ( texto/cap.6-Terapia Familiar no Brasil)
Dentro do modelo sistêmico os estudos que mais se destacaram foram Palo Alto (Bateson,1952),John weakland,Jay Haley. Don Jackson(1954), Mri (Don Jackson,1959), Virginia Satir,Haley,Gyerin (1976), Minuchin (1960) Haley,Bráulio,Montalvo, Bernice Aponte, Ron Leibman Terapia Estratégica BREVE-Watzlawick,Weakland e Fish; Grupo de Milão – Mara Selvini Pallazolli,Giuliana Prata, Luigi Boscolo e Gianfranco Cecchin.

(Texto – Terapia de família no Brasil: Uma Visão Panorâmica) – A questão relacionada a quem são e o que fazem os terapeutas de família tem sido insistentemente debatida e publicada em periódicos internacionais. Quanto ao Brasil, esta discussão tem sido feita principalmente nos congressos que buscam reunir os terapeutas de família brasileiros.

Foram criadas associações como ABRATEF ( Associação Brasileira de terapia de família), AMITEF (Associação Brasileira Mineira terapia de família), e outras regionais sediadas em cada Estado do Brasil.
Em Minas Gerais podemos citar profissionais como Carlos Arturo Loza Molina, Maria Beatriz Coutinho Lourenço de Lima, Maria Beatyriz Rios Ricci, Maria José Esteves de Vasconcellos ,Sonia Maria Cerqueira
A terapia familiar Sistêmica se firmou e estabeleceu como uma linha adotada no mundo no tratamento para família pela sua base teórica e epistemológica, pois quebrou paradigmas mudando pensamento cartesiano, linear até então adotado pelas abordagens psicológicas de maior relevância dentro da psicologia como a Terapia Cognitiva Comportamental, Gestalt, Psicanálise.

Com o desenvolvimento do pensamento sistêmico criou-se uma visão circular onde o individuo é visto como um todo de acordo com a psicóloga entrevistada Jaqueline Cássia não tem como termos uma visão de pensamento causa e efeito, linear e sim circular. Todos interagem entre si, mesmo dentro da subjetividade de cada um, sofrendo influência do meio. O inconsciente é grupal, familiar o pensamento é circular, o todo está em cada parte e a parte está no todo.
.A interação do psicólogo como parte do processo terapêutico juntamente com o cliente nas suas demandas e na construção do pensamento interagindo com a família é um diferencial substancial da terapia sistêmica isso numa visão da cibernética de segunda ordem como citado na entrevista no anexo.

De acordo com (cap.1 o texto Família e casal: da tradição a modernidade), a família processa e reinventa seus legados no confronto entre tradição e modernização. A transmissão vai além da unidade familiar estendendo-se aos elos socioculturais.

A contemporaneidade é marcada pela busca da individualização, a autonomia é supervalorizada, mas a família continua sendo a célula mater, a história dos pais continua sendo um ponto de referência para os filhos inclusive na escolha de seus pares conjugais, servindo como norteador na passagem de valores de geração a geração.
Fica aqui um questionamento quanto à educação dos filhos na modernidade, dentro desse novo contexto de organização familiar, pais e mães buscando suas realizações pessoais, profissionais e crescimento financeiro numa sociedade extremamente capitalista e competitiva onde a individuação é uma busca constante a terapia de família seria uma ferramenta para fazer um link entre a individuação e o viver em família.

A terapia de família vai além dos limites da terapia individual.

Parte do trabalho de Terapia Sistêmica PUC/BH -ntrodução
Maria de Fátima Araujo Martins

%d blogueiros gostam disto: